Social Icons

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Jaco lutou com o anjo prevaleceu


Jaco lutou com o anjo prevaleceu. O motivo da discórdia com seu irmão era que Jacó dava valor às riquezas espirituais, ao passo que Esaú as desprezava. Jacó estava interessado na promessa do pacto feita a Abraão e dedicava-se a cuidar da família que Deus designara para herdar essa promessa. Por isso, Deus o ‘amava’. Jacó era “inculpe”, termo que se refere à excelência moral. Em contraste, Esaú ligava tão pouco para a sua herança espiritual a ponto de vendê-la a Jacó por uma ninharia. Quando Jacó, com a aprovação divina, reivindicou o que era seu e obteve a bênção originalmente destinada ao seu irmão, Esaú ficou irado. Jacó abandonou tudo o que amava, mas o que aconteceu a seguir certamente o ajudou a superar qualquer sentimento de desânimo. — Malaquias 1:2, 3; Gênesis 25:27-34; 27:1-45. Por meio de um sonho, Deus mostrou a Jacó anjos subindo e descendo por uma escada, ou “escadaria ascendente de pedras”, entre o céu e a Terra, e declarou que protegeria a Jacó e sua descendência. “Todas as famílias do solo hão de abençoar a si mesmas por meio de ti e por meio de tua descendência. E eis que estou contigo e vou guardar-te em todo o caminho em que andares, e vou retornar-te a este solo, porque não te abandonarei até que eu tenha realmente feito o que te falei.” — Gênesis 28:10-15.

Como isso era animador! Deus confirmou que as promessas feitas a Abraão e a Isaque enriqueceriam espiritualmente a família de Jacó. Ele se apercebeu de que anjos podiam ministrar aos que têm a aprovação de Deus, e a proteção divina lhe foi garantida. Em gratidão, Jacó votou ser fiel a Yehowah. — Gênesis 28:16-22.


Jacó, de forma alguma, usurpou a herança de Esaú. Antes de os meninos nascerem, Yehowah disse que ‘o mais velho serviria ao mais jovem’. (Gênesis 25:23) Talvez alguém pergunte: ‘Não teria sido mais fácil se Deus tivesse permitido que Jacó nascesse primeiro?’ O que se seguiu ensinou verdades importantes. Deus não reserva bênçãos para os que acham que têm direito a elas, porém mostra benignidade imerecida aos que ele escolhe. O direito de primogênito foi por isso entregue a Jacó, não ao seu irmão mais velho, que não o prezava. De modo similar, visto que os judeus naturais como nação demonstraram a mesma atitude de Esaú, foram substituídos pelo Israel espiritual. (Romanos 9:6-16, 24) .

O bom relacionamento com Deus hoje em dia nunca resulta de uma herança adquirida sem esforço, mesmo que alguém tenha nascido numa família ou num ambiente onde se teme a Deus. Os que desejam ter a bênção divina precisam se esforçar a ser piedosos, prezando profundamente as coisas espirituais. A vida de Jacó foi marcada por desavenças e calamidades. A ira assassina do seu irmão gêmeo o obrigou a fugir para salvar a vida. Em vez de se casar com a mulher que amava, foi enganado e se casou primeiro com outra moça e acabou tendo quatro esposas e uma série de problemas. (Gênesis 30:1-13) Durante 20 anos, trabalhou para um homem que o explorava. Lutou com um anjo e ficou com uma seqüela permanente. Sua filha foi estuprada, seus filhos provocaram um massacre, e ele chorou por causa da perda trágica de seu filho favorito e da esposa que mais amava. Vendo-se obrigado a emigrar na velhice para escapar duma fome, admitiu que seus dias tinham sido “poucos e aflitivos”. (Gênesis 47:9) Apesar de tudo isso, Jacó era um homem espiritual que confiava em Deus. A sua fé estava mal depositada? Que lições podem aprender por considerarmos apenas algumas das experiências de Jacó?

A luta com o anjo e o reencontro com Esaú não foram as únicas crises que Jacó teve de enfrentar. No entanto, os acontecimentos considerados aqui ilustram que tipo de homem ele era. Ao passo que Esaú não suportou passar um pouco de fome, para preservar seu direito de primogenitura, Jacó labutou durante toda a sua vida para obter bênçãos, até mesmo lutando com um anjo. Conforme Deus prometera, Jacó recebeu orientação e proteção divinas, tornando-se progenitor duma grande nação e antepassado do Messias. — Mateus 1:2, 16.

Está disposto a se esforçar para obter o favor de Deus, como que lutando por isso? A vida atual está cheia de dificuldades e desafios para os que desejam fazer a vontade de Deus, e isso às vezes exige que lutemos para tomar as decisões certas. No entanto, o excelente exemplo de Jacó nos dá um forte incentivo para nos apegarmos à esperança da recompensa que Deus nos oferece. Deus tem Muito para nos oferecer i ai esta interessado receber oque ele tem para nos ?  Lute perseverem !!. 

A determinação de Jacó
Jacó demonstrou determinação de lutar pela benção que precisava Gn. 32:26 (“E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.”). Esta virtude Jacó sempre teve – Ele sempre foi determinado. ‘Podemos ver isso: Quando se decidiu por Raquel. Quando buscou prosperidade. E agora na luta com o Anjo (com o Varão).
Muitas vezes, em muitas ocasiões o que falta em nós, na pessoa é a determinação, “em dizer eu vou buscar”, “eu vou fazer”, “eu vou conseguir”, “eu vou mudar”, “eu vou resistir”, “eu não vou recuar em nome de Jesus.” Fl. 4:13 (“Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.”)
Meu objetivo nesta palavra, é te levar a determinar, é te levar a travar uma luta com Deus, assim como Jacó, para que possas alcançar a benção que tanto precisa.

 “O Toque Divino” da Mudança em Jacó

Jacó recebeu o Toque Divino Gn. 32:25 (“E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele.”). Muitos servos de Deus receberam o Toque de Deus (O Toque Divino). ISAIAS recebeu esse Toque Divino Is. 6:6-7 (“Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e expiado o teu pecado.”). JEREMIAS recebeu esse Toque Divino Jr. 1:8-9 (“Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o SENHOR. E estendeu o SENHOR a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o SENHOR: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca;”). PEDRO e os demais Apóstolos receberam esse Toque Divino At. 2:1-3 (“E, CUMPRINDO-SE o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.”). PAULO recebeu esse Toque Divino At. 9:3-4 (“E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu. E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?”).
JACÓ recebeu o Toque Divino da Mudança e recebeu transformações importantes:
Física – Quando o Senhor tocou no seu corpo (Coxa);
Moral – Quando o Senhor tocou no seu caráter – o Senhor tocou no coração de Jacó, na identidade dele, mudou seu procedimento completamente;
Espiritual – Seu novo viver confirmou-se ao ser-lhe mudado o nome. Jacó passou a ser outro servo de Deus depois desse Toque. Muitos precisam receber esse toque para ter sua vida espiritual mudada.
Muitos precisam receber esse toque:
Para ser renovado.
Para ser transformado.
Para ser usado por Deus na sua obra.
Você não pode continuar sua vida sem passar o Vau de Jaboque, você não pode prosseguir sem antes passar uma noite com Deus no Vau de Jaboque.

Um comentário:

  1. Foi bom encontrar o seu blo,e poder ver que permanece na fé
    escrevendo bons textos, que edificam e ajudam a cada um,
    Nunca deixe de se firmar na Santa Palavra, pois é essa nos trás
    conforto e segurança.
    Sou António Batalha, do Peregrino E Servo.
    Deixo-lhe a minha bênção, e que a paz de Jesus encha sempre
    seu coração.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Não Pressione O Botão Vermelho